Teste de HPV como substituto para o Papanicolau ou exame ginecológico preventivo?

Suplementos vitamínicos e minerais para a prevenção de doenças?
abril 24, 2014
Suplementação de ferro impulsionam o desempenho físico em mulheres.
abril 24, 2014

Teste de HPV como substituto para o Papanicolau ou exame ginecológico preventivo?

Especialistas de um painel consultivo da Food and Drug Administration (FDA) votaram e recomendam por 13 votos contra zero que o teste para o HPV, produzido pelo Laboratório Roche e conhecido como Cobas, é seguro e eficaz como primeiro passo para o rastreamento do câncer1 de colo deútero2.

Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).

Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.

O painel de especialistas do Medical Devices Advisory Committee Microbiology Panel, da Food and Drug Administration (FDA), dos EUA, avaliou positivamente em três votações separadas, por 13 votos a zero, e concluiu que o teste Cobas para o papilomavírus humano, produzido pela Roche Molecular Systems, é seguro e eficaz como exame de primeira linha para triagem do câncer1 cervical.
Embora a FDA não seja obrigada a seguir as recomendações de seus paineis consultivos, isso é o que geralmente acontece. A Roche espera que o teste seja aprovado pela FDA como uma ferramenta de diagnóstico de primeira linha. De acordo com o laboratório, o teste Cobas é capaz de selecionar uma variedade de estirpes de HPV de alto risco.
O HPV é um vírus sexualmente transmissível, tendo certas cepas mais envolvidas com os tumores cervicais, como o HPV 16 e 18. O vírus também causa verrugas genitais em homens e mulheres e certos tipos de câncer de cabeça e pescoço.
As mulheres que têm o teste Cobas positivo para os sorotipos 16 ou 18 devem se submeter à colposcopia. Além disso, aquelas que não têm HPV 16 ou 18, mas têm outros sorotipos do vírus que são de alto risco devem fazer o exame de Papanicolau para ver se é necessária uma colposcopia.
Os dados do comitê consultivo são baseados no estudo ATHENA, que incluiu informações de mais de 47.000 mulheres.
Atualmente, o teste Cobas HPV é aprovado para uso em mulheres com 21 anos ou mais, que já receberam um teste de Papanicolau alterado. Também é aprovado como um exame adicional para um teste de Papanicolau padrão em mulheres com idades entre 30 e 65 anos.
As diretrizes atuais ainda favorecem o uso do teste de Papanicolau em primeiro lugar, mas elas continuam a evoluir. Apesar da triagem para ocâncer de colo de útero ser vital, não é a única razão pela qual as mulheres devem fazer um exame ginecológico de rotina. O atendimento ginecológico envolve mais do que o rastreio para o câncer de colo de útero.
Há duas vacinas aprovadas para prevenção do HPV, Gardasil e Cervarix, que podem proteger contra o HPV. O U.S. Centers for Disease Control and Prevention recomenda que todos os rapazes e moças sejam vacinados a partir das idades de 9 a 11 anos de idade.
No Brasil, este ano foi introduzida a vacina quadrivalente contra o papilomavírus humano (tipos 6 e 11, 16 e 18), no Programa Nacional de Imunizações. A vacina9 é indicada para meninas e mulheres de 9 a 26 anos para prevenir o câncer de colo de útero, vagina, vulva e ânus, causados pelos HPV 16 e 18, e verrugas genitais, causadas pelos HPV 6 e 11. Ela também é indicada para meninos e homens de 9 a 26 anos de idade para a prevenir o câncer e as verrugas genitais e anais provocados pelo HPV.
Fonte: FDA Medical Devices adaptado